quarta-feira, 26 de agosto de 2015

PCDF ganhará mais que Coronéis da PMDF e CBMDF

Na última terça-feira 25/08/2015 a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou a admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 445/14, do deputado Cleber Verde (PRB-MA), que fixa parâmetros para a remuneração da carreira de Policial Federal e da carreira de Polícia Civil do Distrito Federal.

De acordo com o texto, o subsídio do grau ou nível máximo da carreira de Policial Federal e da carreira de Polícia Civil do DF não será inferior a 80,25% do subsídio mensal dos ministros do Supremo Tribunal Federal que recebe atualmente R$ 33.763,00 (trinta e três mil, setecentos e sessenta e três reais), e que abrangerá uma remuneração de R$ 27.094,00 (vinte e sete mil reais) para o delegado de polícia, ganhando 24.25% a mais que um Coronel em final de carreira na PMDF e CBMDF.

Já a remuneração inicial dos integrantes dessas carreiras não poderá ser inferior a 57% da remuneração máxima, assim igualando o salário inicial de um agente de polícia civil ao de um Major da PMDF e CBMDF.

Pela proposta, a implementação desse parâmetro remuneratório será feita em até dois exercícios financeiros, contados a partir do exercício financeiro da publicação da medida.

O relator da PEC, deputado Lincoln Portela (PR-MG), frisou que a proteção e valorização dessas carreiras devem constar da Constituição “como forma de manter a paz interna entre os cargos e a justiça”.

E agora José? Enquanto parabenizamos nossos co-irmãos da PCDF pela vitória em busca de sua valorização profissional e salarial, fica o questionamento: Será que nossos oficiais, principalmente os superiores, vão se juntar às praças para pedir valorização salarial ou vão apenas continuar fazendo a guarda dos governantes, que nada fazem por nossas categorias?
#momentodeuniao

Clique e veja a proposta da PEC 445/2014


Fonte: Portal da Câmara dos Deputados

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Becos ocupados por Policiais Militares na mira da AGEFIS

Um Passarinho Me Contou

...que a Agefis está com um apetite voraz e "sedenta" por novas derrubadas e essa coluna garante que não para por aí. Vicente Pires e os becos estão na mira..

...que os próximos alvos são os becos ocupados por casas. Essas construções foram feitas por policiais militares. A Agefis, já tem "planos" para eles...

...que um mapeamento completo foi feito e em breve, os becos poderão sofrer com os implacáveis tratores. Podem anotar, a pedra cantada...

...que alguns becos são ocupados por policiais militares, há mais de 20 anos e sempre houve um plano para a liberação desses locais. É bom colocar as barbas de molho...

...que, quem apostava na queda de Bruna Pinheiro diretora da Agefis, se deu mal. Bruna está firme e forte. Não tem distrital capaz de pedir a sua cabeça...

...que uma força oculta e desafeta queria ver Celina Leão no Tribunal de Contas do DF. A intenção era voltar triunfante ao Palácio do Buriti. Essa coluna captou tudo... 

...que a tal força oculta foi a primeira a sugerir o nome de Celina ao TCDF. Rollemberg gostou da ideia. O personagem e Celina são desafetos. O sonho era ter a Leoa bem distante...

...que o comissionado que não tiver um padrinho ou distrital para chamar de seu pode começar a rezar, as notícias não serão nada boas. As vacas magras batem na porta...

...que o Xerifão, Dr.Michel(PP) não deu asas para os boatos e foi a luta. Para o quase, ex-parlamentar vale o que está escrito. Simples assim...

...que se você precisar entrar com o seu carro no Hospital do Paranoá, não pode. Os funcionários privatizaram o estacionamento. Em caso de emergência se vire, esse é o recado...

...que se algum parente seu ou mesmo você precisar entrar na emergência do hospital só ser for carregado, o carro não pode entrar no estacionamento. Um verdadeiro absurdo...

...que as denúncias foram feitas por Serginho Damasceno e o Blog da Cris. Será que o secretário, de Saúde, Fábio Godim irá fazer alguma coisa?

...que o absurdo está sendo mostrado estamos esperando respostas. A assessoria da Secretaria de Saúde sabe nossos e-mails e telefones. Serão que SES-DF é conivente com tudo isso? ...


Eita Passarinho que sabe de coisas, gente! 

Fonte: Radio Corredor

“ALMA DE SOLDADO”.... Parabéns a todos nós!

Alma de soldado é amar a Pátria com sinceridade, sem fingimento, sem rodeios, sem falsidade; é ser capaz de dar a vida por ela.

Alma de soldado é ter espírito de servidão, é servir ao País como o monge serve a Deus, é sentir em seu coração as melodias de sua terra.

Alma de soldado é sentir saudade da alvorada e do silêncio nos acordes de um clarim, é sentir a vida despertar com as últimas estrelas do céu e os primeiros raios do sol.

Alma de soldado é ir para o quartel sentindo o sabor das manhãs, é marchar todos os dias, com elegância e vibração, ao som dos dobrados militares.

Alma de soldado é recordar as horas passadas em seu posto de sentinela, sentindo a brisa das madrugadas. É conviver com a solidão da noite e namorar as estrelas no céu.

Alma de soldado é fortalecer o corpo com exercícios físicos, mesmo nas manhãs frias de inverno ou chuvosas de verão; é ser um forte como são os homens na guerra.

Alma de soldado é ter orgulho do uniforme e da profissão, é trabalhar com entusiasmo, é acreditar na sua missão de defender o Brasil, é preparar-se para ela nas condições mais adversas.

Alma de soldado é não fraquejar diante das incertezas e dos obstáculos; é pensar sempre no sucesso, nunca no fracasso; é ser como um pássaro voando para o alto, cheio de esperança.

Alma de soldado é ver na hierarquia e na disciplina os valores cartesianos da profissão; é encontrar nesses valores a luz que dá vida às virtudes militares

Alma de soldado é viver a paz preparando-se para a guerra, é estar na guerra lutando pela paz, é ser um guerreiro durante a vida inteira.

Alma de soldado é ter o espírito colorido de verde-amarelo, é acreditar no Brasil como os rios acreditam no mar, é pensar no futuro como as aves pensam na primavera.

Alma de soldado é estar presente no Brasil inteiro, é viver esquecido nos momentos de paz e alegria, é ser lembrado nos momentos de calamidades e dor, é ser sempre uma esperança

Alma de soldado é ter o sorriso aberto de nossa gente, o espírito bondoso de nosso povo... É ouvir as canções do vento nas palmeira de nossa terra, é ser um brasileiro de coração.

Alma de soldado é possuir a etnia das raças, o sentimento das pessoas, a simplicidade dos humildes; é ser a roupa que veste o Brasil, é ser um lutador

Alma de soldado é morar nas regiões mais isoladas e  distantes do país,  como na Amazônia, nas fronteiras, no Pantanal,  na caatinga...  nos sertões deste Brasil imenso.

Alma de soldado é acreditar na grandeza da profissão, nos valores que estão alojados em seu uniforme; é servir de exemplo para as novas gerações, para as pessoas.

Alma de soldado não é ser melhor nem pior do que ninguém.  É apenas cumprir o seu dever com zelo e seriedade. É ter olhar franco e cristalino, é ter palavras simples para dizer a verdade.

Alma de soldado é ser um cidadão, semelhante àquele que caminha pelas ruas, que cruza com as pessoas, que brinca com as crianças, que ama o próximo, que sorri para os outros, que é amigo ...

Alma de soldado é vigiar cada pedacinho do céu que cobre o Brasil, é cuidar da imensidão do mar que abraça a nossa terra, é defender o solo onde vive a nossa gente. Alma de soldado é garantir a soberania do país que pulsa forte em nossos corações.

Alma de soldado é ter uma lágrima para o sofrimento dos outros,  é ser solidário à dor dos desamparados, é estender a mão aos humildes e aos necessitados.

Alma de soldado é aceitar as diferenças; sem preconceito de raça, de condição social, de religião, de ideologia, de idade. É ser um brasileiro.

Alma de soldado é não ter espírito de vingança, é não ser prepotente com êxitos ocasionais.  É saber conciliar e perdoar, é oferecer a seus adversários a sua mão amiga e tolerante.

Alma de soldado é estar em sintonia com as aspirações da sociedade, é respirar o mesmo ar que ela respira, é sentir a mesma dor que ela sente. É lutar ao lado da liberdade e da democracia, como nos campos da Itália durante a II GM

Alma de soldado é ser parceiro na construção do futuro e na segurança do país, é ser motivo de orgulho e alegria para um povo, é merecer a confiança desse povo.

Alma de soldado é não ter aspirações complexas. Sua felicidade não está no dinheiro, está na alegria do sorriso, na simplicidade da vida, na honra do uniforme, na nobreza da missão.
Alma de soldado é ter a virtude de um rei, a simplicidade de um monge, a coragem de um guerreiro.

Alma de soldado é    ter orgulho de si mesmo, é não ter vergonha de ser honesto, é viver um sonho e querer ser soldado para sempre. É ser gente...

Alma de soldado
é ser um herói desconhecido,

eternamente...

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

PMs acusados de homicídios durante desocupação na Estrutural vão a júri

Dois moradores desapareceram em 1998 durante ação de derrubada na área. Julgamento começa nesta segunda e deve se estenda até sexta-feira.

O Tribunal do Júri de Brasília começa a julgar nesta segunda-feira (24) 11 policiais militares suspeitos de envolvimento em dois homicídios e uma tentativa de homicídio durante a Operação Tornado, para desocupação da Estrutural, em 1998. A previsão é que o julgamento se estenda até sexta-feira (28). Todos os suspeitos estão aposentados.

O conflito entre a Polícia Militar e moradores da Estrutural começou em 1996 com o processo de desocupação da área invadida. Na época, moradores resistiram às ordens do governo de desocupar a região. Foram três anos de conflitos e uma série de problemas. Vários barracos foram derrubados.

Em 1998, a situação piorou depois que o policial militar Rubens Gomes de Faria foi morto por um tiro. As ações da polícia que eram oficiais, ganharam reforço de outras operações à paisana. Em uma dessas ações, Roberto José e o filho desapareceram. Uma imagem deles acompanhados de policiais chegou a ser feita durante uma reportagem. O comando da Polícia Militar reconheceu a irregularidade da ação a paisana na época.

Entre as testemunhas, estará Roberto José dos Reis Filho, conhecido como Azul. Durante a operação, ele foi baleado e deixado em um matagal em Sobradinho. O morador passou a ser protegido pelo Ministério Público.

Memória

No dia 6 de agosto de 1998, durante uma operação da Polícia Militar, o soldado Rubens Gomes de Faria, 32 anos,  foi atingido por disparo de arma de fogo e morreu na Estrutural. Dois dias depois, a PM fez operações na área. Segundo o advogado Ennio Ferreira Bastos, a polícia alegou que era uma operação de desarmamento e pela proximidade do lixo, mas a ação também promoveu derrubada de barracos. "Essa operação de desarmamento foi uma desculpa para começar a retirada dos moradores", afirma Ennio.

Cenário político em 1998

Governador do Distrito Federal em 1998, Cristovam Buarque tinha tudo para se eleger na época. Dono de uma grande popularidade nas cidades satélites, o atual senador, no entanto, perdeu para o candidato Joaquim Roriz no mesmo ano. Naquela altura, as imagens das ações policiais na Estrutural já tinham ganhado força em todo o DF. 

O que diz o senador Cristovam Buarque

Questionado a respeito da Operação Tornado, o senador Cristovam Buarque confirmou que não vai poder comparecer ao julgamento dos policiais. 

Ele destacou que espera a decisão da Justiça sobre o caso. "Vamos aguardar o que a Justiça tem a dizer. Quem é culpado tem que pagar pelo o que cometeu", afirma o senador, alegando que "a Operação Tornado não teve nada a ver com o governo". Segundo Cristovam, a operação era uma ação "paralela". 

Fonte: G1 DF e Jornal de Brasília

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Cármen Lúcia: Vice-presidente do STF diz que brasileiros precisam ter ‘a ousadia dos canalhas’

Para ministra Carmen Lúcia, população precisa reivindicar mais, em vez de apenas reclamar

Os ‘‘brasileiros de bem’’ precisam ter a mesma ousadia dos ‘‘canalhas’’ para ajudar a tirar o país da crise política, econômica e financeira que o Brasil enfrenta, afirmou nesta quinta-feira a vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia.

Ela deu a declaração durante uma palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro, mas, de acordo com a agência de notícias REUTERS, não esclareceu a quem se referia quando usou o palavra ‘‘canalhas’’.

— Nós, brasileiros, precisamos assumir a ousadia que os canalhas têm — disse Cármen Lúcia, acrescentando que o arrojo ‘‘não pode ser de pessoas que não cumprem as leis, que usam o espaço público para interesses particulares’’.

A vice-presidente do STF acredita que chegou a hora de a população mudar de postura, passando a reivindicar mais, em vez de só reclamar.

— Reclamação nunca levou a lugar algum — frisou a ministra, lembrando que a Lei da Ficha Limpa, que inviabiliza a candidatura de políticos condenados pela Justiça, nasceu de uma iniciativa popular.

Cármen Lúcia destacou que não é favorável a um processo de impeachment:

— É um instituto que está previsto na Constituição, só que aplica-se em casos de processo de crime de responsabilidade, e não tem nada disso em andamento.

Fonte: O Globo - 20/08/2015

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Crise na Segurança Pública pode ser declarada agora em 2015

Em setembro do ano passado foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal o Decreto 35.851, que tratava da efetivação de Policiais e Bombeiros Militares do Distrito Federal nas corporações e que ingressaram por medida liminar.

Determinava o Decreto que, para o caso dos militares que tivessem concluído o curso de formação com êxito, ou seja, sem os problemas (exames médicos, biométrico, psicotécnico, entrega de exame toxicológico, teste de aptidão físico, avaliação instrumental) que surgiram para o ingresso nas corporações, esses seriam sanados pelas corporações, vindo a arquivar as demandas judiciais caso fossem alcançados os objetivos. Uma comissão deveria ter sido criada com esse propósito, no entanto, a PMDF parece não ter se preocupado muito com a situação dos policiais militares subjudice.

O Corpo de Bombeiros, como sempre e com uma gestão eficiente, deu andamento ao previsto no Decreto imediatamente, vindo a sanar praticamente todas as demandas. No entanto, o mesmo não aconteceu na Polícia Militar que sequer deu andamento, ignorando completamente um Decreto governamental, correndo o risco de perder das fileiras da corporação mais de 500 policiais militares que se encontram sub judice. Questionaram o Decreto junto a Procuradoria Geral do DF e travaram tudo, mesmo com parecer favorável da PGDF sugerindo a suspensão de qualquer desligamento de policiais até o julgamento do mérito da questão.

O Governo está anunciando 1.734 novos policiais nas ruas para justificar a implantação do Programa Pacto Pela Vida, inclusive alterando escalas de unidades especializadas como o Batalhão Escolar - BPEsc (que não trabalha sábados, domingos e feriados e passaram a trabalhar), na tentativa de mostrar à população que o policial está nas ruas. Porém, com essa atitude ineficiente de gestão, esse mesmo efetivo poderá ser reduzido a 1200 policiais com o desligamento dos mais de 500 sub judice, que automaticamente teriam que sair da corporação. Numa cidade onde a proporção é de 1 policial para cada 190 habitantes isso é um número considerado que fará muita falta.

Existe uma previsão de que até 2020 a instituição perca cerca de 5 mil policiais, já que a tropa hoje é composta de policiais que já estão perto de completarem seu ciclo de permanência na corporação e irem para a reserva remunerada (aposentadoria). Esse número poderá ser bem maior tendo em vista que muitos estão debandando da PMDF para outros órgão que remuneram e apresentam qualidade de ascensão funcional muito melhores. Além do mais, a política de arrocho dos governos local e federal, aliado a malversação do uso dos recursos do Fundo Constitucional, serão impedimentos claros para novas contratações.
O blog apurou que no dia 07 de julho passado houve uma reunião no Palácio do Buriti, onde estiveram presentes os Comandantes das duas forças, o Chefe da Casa Civil César Sampaio e o Deputado Distrital Juarezão, para tratarem das ações que estavam sendo realizadas para o cumprimento do Decreto 35.851. No que diz respeito ao Corpo de Bombeiros, segundo o seu comandante, coronel Hamilton, as pendências estavam em fase final, não havendo risco de perdas. Já na Polícia Militar as coisas não estão caminhando bem. Segundo apuramos, um documento emitido pela corporação provocava a Procuradoria Geral do DF para saber a legalidade do Decreto. Será que estamos presenciando a “Chuva de baixo para cima”? Onde estão os comandos que não estão se preocupando com a segurança da população, mandando embora das fileiras policiais com até 4 anos de exercício legal da profissão? Será que uma barra de flexão a menos ou um mês a mais na idade irão influenciar no desempenho nas ruas desses profissionais em benefício da proteção da população?

A realidade é que num momento de crise e com zero perspectivas de melhorias, a população de Brasília não pode ser prejudicada por meros problemas burocráticos e de má gestão, e muito menos que esses pais de famílias, policiais e bombeiros militares, sejam prejudicados por pessoas que não têm demonstrado nenhum tato em administrar.
Estamos de olho, e que o governador Rolemberg se recorde de qual foi o destino de Agnelo Queiroz por tentar desrespeitar esses que são fundamentais para a manutenção da ordem e segurança pública dentro do Distrito Federal.

O que diz o Decreto:

DECRETO Nº 35.851, DE 26 DE SETEMBRO DE 2014.
Dispõe sobre o provimento e a efetivação de policiais e bombeiros militares no serviço ativo do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal e da Polícia Militar do Distrito Federal, e dá outras providências.

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos VII, XXI e XXVI, do art. 100, da Lei Orgânica do Distrito Federal e tendo em vista o que consta no Processo nº 053.000.558/2014 e no Processo nº 054.001.328/2014 DECRETA:

Art. 1º Os policiais militares e os bombeiros militares que, por força de decisão judicial tenham sido aprovados nos cursos de formação, previstos nos editais dos concursos publicados até a edição deste Decreto, poderão ser efetivados nos postos e nas graduações que se encontram, em caráter excepcional e à vista do interesse público, caso os motivos que ensejaram a propositura de demandas judiciais contra o Comandante-Geral da PMDF, o Comandante-Geral do CBMDF e o Distrito Federal sejam superados, de acordo com o procedimento previsto neste Decreto.

Art. 2º Os Comandos Gerais da Polícia Militar do Distrito Federal e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal reapreciarão os fundamentos dos atos administrativos que acarretaram a propositura das demandas judiciais de que trata o artigo anterior.

§ 1º As reapreciações dos atos de que trata este artigo serão implementadas após a realização e a aprovação, conforme o caso, de novos:
I – teste de aptidão física - TAF;
II – exame médico, biométrico, ou complementar;
III – teste toxicológico;
IV – exame psicológico;
V – exame prático instrumental.

§ 2º A critério do Comandante-Geral da PMDF e do Comandante-Geral do CBMDF, de forma fundamentada, poderão ser aproveitadas as informações produzidas e as avaliações realizadas por órgãos das respectivas Corporações Militares, no curso das atividades regulares de cada policial militar e de cada bombeiro militar, desde que atendidos os critérios previstos nos editais dos concursos públicos.

§ 3º Superado em decisão fundamentada, o motivo que ensejou a propositura da demanda judicial, o Comandante-Geral da PMDF e o Comandante-Geral do CBMDF adotarão as providências necessárias à definitiva investidura do policial militar e do bombeiro militar no cargo que ocupa.

Art. 3º A Procuradoria Geral do Distrito Federal deverá ser comunicada pelos respectivos Comandantes-Gerais da PMDF e do CBMDF, sobre as decisões a que se refere o § 3º do artigo anterior, acompanhadas dos resultados dos exames feitos ou das informações e avaliações consideradas, para a adoção das medidas cabíveis nos processos judiciais correspondentes.

Art. 4º Os atos administrativos decorrentes do disposto neste Decreto não acarretarão indenização pecuniária de qualquer natureza.

Art. 5º Os Comandantes-Gerais da PMDF e do CBMDF adotarão as providências necessárias ao cumprimento deste Decreto, resolvendo as dúvidas e questões decorrentes de sua aplicação, tendo presente o interesse público.

Art. 6º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 7º Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília, 26 de setembro de 2014.
126º da República e 55º de Brasília
AGNELO QUEIROZ

Da Redação,

Por Poliglota...

terça-feira, 18 de agosto de 2015

General do Exército responde a presidente da CUT “Cuidado com sua língua, o Brasil só tem um exército”


Após a polêmica e imbecil declaração do presidente da CUT, ameaçando pegar em armas e fazer trincheiras nas ruas para defender Dilma de uma possível cassação do mandato, em face das inúmeras ilegalidades o exercício do mesmo, o General Gilberto Rodrigues Pimentel, Presidente do Clube Militar, em nota oficial disse:


"É bom lembrar que o Brasil só tem um Exército, que dispõe legalmente do monopólio da força, em defesa do Estado Brasileiro. Qualquer outro grupo armado que venha às ruas terá que enfrentá-lo. Cuidado com a língua e com as ameaças, Vagner Freitas. Você terá oportunidade de esclarecer em juízo o verdadeiro sentido de suas palavras, na ação que será movida a esse respeito".

ABAIXO, A NOTA OFICIAL NA ÍNTEGRA

CUIDADO COM A LÍNGUA

       Em recente artigo, observamos que a situação de desgoverno e de caos do país lembrava a de 1964. Fomos interpelados por alguns leitores, temendo ver em nossas palavras uma ameaça velada de intervenção militar, sem considerar que o Clube Militar não tem competência para tal, inclusive por ser uma entidade de direito privado, sem qualquer vínculo de subordinação com as Forças Armadas.

          Sua influência restringe-se ao campo das ideias, quando procuramos interpretar o pensamento da maioria de nossos associados.

          Comentamos, poucos dias depois, que o diálogo prometido pela Presidente Dilma iria limitar-se aos 7% da população que ainda apoia seu governo.

          Ontem o “diálogo” começou. Após um encontro de Dilma com os “movimentos sociais” no Palácio do Planalto, o Presidente da CUT, Vagner Freitas, ameaçou “pegar em armas” em defesa do governo. Declarou estar preparado com “armas” e um “exército” para barrar qualquer tentativa dos “coxinhas” de tirá-la do poder. Na defesa do governo, declarou estar pronto para ir para as ruas entrincheirado, com armas na mão.

          À noite, em programa de televisão de audiência nacional, afirmou que houvera um mal-entendido, que não pensara em incitar a violência, que usara uma figura de linguagem ao falar em armas. Disse, também, que seu exército era composto de organizações de trabalhadores, greves e atos públicos, na defesa da democracia. Naturalmente, referia-se à sua democracia sindicalista, dona do monopólio do poder e da verdade, no seu entendimento.

          É bom lembrar que o Brasil só tem um Exército, que dispõe legalmente do monopólio da força, em defesa do Estado Brasileiro. Qualquer outro grupo armado que venha às ruas terá que enfrentá-lo.

        Cuidado com a língua e com as ameaças, Vagner Freitas. Você terá oportunidade de esclarecer em juízo o verdadeiro sentido de suas palavras, na ação que será movida a esse respeito.

Gen Gilberto Rodrigues Pimentel é Presidente do Clube Militar.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

CBMDF esperando o resgate das promoções


Os praças do CBMDF não estão nada satisfeitos com o desprezo com que o Governador Rollemberg vem tratando a categoria. Em um jantar realizado por eles no Restaurante Markro, os Bombeiros receberam os deputados Celina Leão (PDT), Dr. Michel (PP), o líder do governo Júlio César (PRB) e o Dep. Federal Izalcy Lucas (PSDB). O evento contou com a presença da FONAP (Forum Nacional Permanente de Praças dos Corpos de Bombeiros e Polícias Militares do Brasil), representado pelo seu Presidente Renilson Roma.


O motivo do jantar era levar ao conhecimento dos deputados a desmotivação da tropa, que está se aposentando sem ver a tão sonhada promoção de patente. Existe um processo de seleção de sub-tenente para tenente na Lei 12086 de 2009 que não foi regulamentado, mesmo assim os deputados distritais fizeram uma indicação, assinada pelos 24 através de uma minuta, que espera a boa vontade do sr. Governador, mesmo já passado o prazo previsto de 30 dias do encaminhamento para o Executivo.

Parece que o governador Rollemberg gosta de cobrar prazos do povo, mas não gosta de cumprir os já existentes em LEI. Não é por menos que o povo crítica e chama o governo de Enrollemberg. Enquanto isso os servidores do CBMDF, nossos heróis em momentos de imprevistos ou de acidentes, esperam ser resgatados antes da aposentadoria.

Fonte: Blog da Cris Oliveira